Muito se pergunta sobre a real importância de um coach para uma equipe de Counter-Strike. E para começamos a definir, precisamos saber o real significado da palavra e todas as suas nuances. Coach é uma palavra inglesa que designa treinador, no CS:GO ela é dada ao sexto elemento da equipe, que geralmente permanece em pé atrás dos players nas maiores competições presenciais.

A função surgiu recentemente, da necessidade de um profissional que estudasse com maior afinco os detalhes e as possibilidades do game, com o objetivo de executar a melhor leitura de jogo nos momentos de maior impacto da partida, buscando a vitória.

Hoje, é quase plena a presença dos coaches nas equipes bem-sucedidas e na maioria delas, eles atuam como peça fundamental tanto dentro como fora dos servidores. Dentre as mais variadas incumbências desempenhadas pelo técnico, o gerenciamento dos horários de treinos, a manutenção das estratégias, a análise do comportamento do adversário em diversas situações e toda a preparação que antecede qualquer evento ou partida da equipe são os principais deveres.

Recentemente, a Valve fez mudanças drásticas na posição, não permitindo que os coachs exercessem mais o papel de in-game leader. Com a modificação a função perdeu muito do seu significado, principalmente em equipes aonde a presença do mesmo fazia-se extremamente necessária. Em contrapartida, a empresa expandiu o número de pauses durante um jogo, permitindo a inserção da voz do coach nesses momentos.

Em alguns situações, o coach é visto como o pai dos jogadores, pois além de conter a euforia nos momentos de excitação, mantém a calma e a cabeça no lugar nos momentos de dificuldade. Geralmente efetua ações que gerem melhores resultados no longo prazo, apesar deste processo não ser relatado ao grande público, porém, o efeito causado na equipe é de suma importância, pois eles buscam dia a dia o aperfeiçoamentos dos mínimos detalhes.

De acordo com José "ze" Miranda, ex-coach da Team Innova, Innova Pink e SLK(atual StrongCore Gaming), o Brasil não é o celeiro de grandes coaches, uma vez que eles estão sobrecarregados, desviando o verdadeiro foco de suas funções. Alguns atuam como *managers *e auxiliares entre player e organização, atrapalhando suas atividades e comprometendo o desempenho do time.

Além disso, o não reconhecimento do trabalho que é feito pelo coach brasileiro, sem divulgação, remuneração adequada e suporte da comunidade e organização a qual ele atua, desmotiva o crescimento da atividade e dificulta a profissionalização do e-sports como um todo. Pois em território nacional, a gestão de pessoas é taxada como função secundária e jogadores que poderiam muito bem estar sendo lapidados, confundem a arrogância com confiança, não evoluindo absolutamente nada em seu jogo e muito menos obtendo sucesso no cenário.

A presença futura dos coaches nos mais variados games ainda não é certa, mas no Counter-Strike está mais que provado que o sexto player tem papel fundamental nos resultados da equipe, pois na maioria das vezes prevalecem as táticas perfeitamente executadas sob os olhos clínicos de quem estudou para tal. Sem brechas e oportunidades para erros, sagram-se campeãs as equipes de grandes coaches.